A receita do churrasco perfeito

Entenda por que a força primitiva − e de certa forma incontrolável − do fogo de um braseiro não encontra concorrente à altura na culinária moderna

Entenda por que a força primitiva − e de certa forma incontrolável − do fogo de um braseiro não encontra concorrente à altura na culinária moderna

como fazer um churrasco perfeito

1. A grelha definitivamente não é uma superfície antiaderente. O melhor jeito de não deixar a comida grudar é passar óleo sobre a grelha e deixá-lo queimar todo antes de preparar o churrasco – vai restar uma fina camada gordurosa sobre o metal.

2. Uma camada de cinzas deve cobrir as brasas antes de você começar a grelhar o alimento. A cinza diminui o brilho das brasas, moderando o calor que elas irradiam. Ela também reduz o efeito chaminé – a circulação de vento quente -, já que isola as brasas do ar.

3. A fumaça é um aerossol: uma mistura de minúsculas partículas sólidas e gotículas dispersas em vários gases invisíveis. Os sólidos tornam a fumaça mais pesada do que o ar: por isso, ela só sobe enquanto está quente. Ela vai para cima com o vento cálido que sai das brasas e passa pela carne. O calor do carvão em chamas aquece o ar, que assim se torna mais leve e sobe, cozinhando a comida. Isso cria um vácuo que suga mais ar para abastecer o fogo.

4. Quando a grelha está próxima das brasas, os pedaços de comida precisam ser relativamente finos para cozinhar bem sobre a radiação intensa do fogo e o ar incandescente. Se for muito grosso, o alimento queimará a parte exterior antes de ficar pronto por dentro.

5. Os líquidos que gotejam da carne são o verdadeiro segredo do churrasco. Ao entrar em combustão, essas soluções químicas complexas cobrem a comida com diversos compostos aromáticos e deliciosos.

6. As chamas que parecem tremular sobre o carvão são feitas de carbono, na forma de fuligem incandescente. O ar superaquecido é turbulento; ele eleva as partículas de fuligem do carvão e permite que elas reajam com o dióxido de carbono do ar, produzindo monóxido de carbono.

7. O carvão incandescente gera temperaturas muito acima dos
700 ºC necessários para emitir luz visível. A luz laranja emitida pelo centro das brasas indica uma temperatura acima de 1.100 ºC. Os vãos entre as brasas são ainda mais quentes: lá, o monóxido de carbono em chamas aquece a fuligem a pelo menos 1.400 ºC.

Outros métodos

como fazer churrasco

No espeto 
Sem grelha, o alimento não recebe calor por condução, apenas o que irradia das brasas. Espetos giratórios permitem que a carne seja assada por igual.

como fazer churrasco

Fogo de chão 
Uma variante do espeto, assa o alimento em estacas fincadas no chão, próximas a uma fogueira. Costuma ser usado para preparar lentamente animais inteiros ou peças muito grandes de carne.

como fazer churrasco

Rescaldo
Consiste em cozinhar a comida diretamente nas cinzas quentes. Muito usado para preparar tubérculos envolvidos em papel-alumínio.

como fazer churrasco

Planking
A comida vai sobre um tábua de madeira que vai sobre o fogo. O cozimento se dá de modo lento, pois a madeira funciona como isolante térmico. Ela também emana fumaça e vapores aromáticos produzidos pela queima de resina – assim, uma carne assada sobre cedro vai ter gosto diferente de uma feita em jacarandá.

Em alta!

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
No Facebook
Share on twitter
No Twitter
Share on linkedin
No Linkdin
Share on pinterest
No Pinterest